top of page
Dermatologia - Clínica e Cirúrgica

A pele é o maior órgão do nosso corpo e uma das nossas maiores barreiras protetoras contra a ação de agentes como vírus e bactérias.

Além do mais, a pele e seus anexos (cabelos, pelos e unhas), são componentes importantes da nossa aparência física.

 

Sendo assim os cuidados com a pele são imprescindíveis para a proteção da nossa saúde e melhora da nossa imagem e autoestima.

São mais de 3 mil doenças dermatológicas que afetam crianças, adultos e idosos, dentre elas:

 

• Acne (espinhas);

• Alergias;

• Vitiligo;

• Psoríase;

• Alopécia (queda de cabelos);

• Hanseníase;

• Câncer da pele.

Uma avaliação minuciosa da pele, cabelos e unhas realizada por um dermatologista é de grande importância, pois é através dela que é possível criar um protocolo de cuidados adequados, de acordo com as características individuais de cada um, além de diagnosticar precocemente doenças sistêmicas que podem manifestar-se na pele, nos cabelos e até nas unhas, antes de outros sintomas.

Para que a avaliação do dermatologista seja mais eficaz, algumas orientações devem ser seguidas:

• Ir sem maquiagem;

• Retirar o esmalte das unhas.

Muitas vezes, o diagnóstico realizado na consulta pode demandar um tratamento medicamentoso ou algum procedimento cirúrgico, sendo que algumas dessas cirurgias podem ser realizadas ambulatorialmente, ou seja, no próprio consultório. 

Pequenas cirurgias dermatológicas ambulatoriais

Biópsia e/ou exérese de lesões de pele

Procedimento realizado para remover uma lesão de pele, com a finalidade de esclarecer a natureza dessa amostra (benigna ou maligna), bem como tratar a lesão.

 

O procedimento é realizado com anestesia local.

Cantoplastia ungueal / Exérese de unha

Procedimento cirúrgico da cantoplastia ungueal que objetiva remover a porção parcial ou total da lateral da unha doente (encravada), havendo posteriormente a cauterização e a sutura.

Lóbuloplastia

É a correção da fenda do lóbulo da orelha.

 

Essa pequena cirurgia é destinada a corrigir tanto o lóbulo que foi totalmente rasgado (fenda total) quanto o lóbulo que está com o furo aumentado (fenda parcial).

 

É realizada em consultório, com anestesia local, rápida recuperação e cicatrização discreta.

 

Para fazer uma nova perfuração na orelha, será necessário aguardar cerca de 6 semanas.

Eletrocauterização de lesões cutâneas

Eletrocauterização, ou simplesmente cauterização, é um procedimento cirúrgico em que a lesão é carbonizada por eletricidade e calor.

 

Costuma ser realizado no próprio consultório com o uso de anestésico local e a recuperação é rápida.

 

É utilizada para retirar lesões de pele benignas como hiperplasias sebáceas, ceratoses seborreicas e dermatose papulosa nigra.

Transplante capilar

O transplante capilar é uma das soluções mais eficazes para aqueles que sofrem de calvície.

 

É um procedimento cirúrgico de recuperação dos fios, minimamente invasivo, onde o próprio paciente faz doação do folículo saudável para a área afetada pela calvície.

 

A consulta para avaliação é realizada em consultório, sendo que quando indicada, a cirurgia é programada e agendada em centro cirúrgico específico.

A calvície pode ser tanto masculina quanto feminina e o transplante também pode ser feito tanto em homens quanto em mulheres.

 

Estes transplantes podem ser realizados desde áreas muito pequenas, que tanto podem incomodar o indivíduo até áreas extensas em que não existem ou existem poucos fios de cabelo.

Antigamente as técnicas utilizadas deixavam um aspecto nada natural do cabelo, o famoso “cabelo de boneca”.

 

Atualmente as técnicas utilizadas conferem um aspecto de mais naturalidade da área transplantada, muitas vezes imperceptível.

 

As técnicas mais utilizadas são a FUE e a FUT ou a combinação de ambas.

 

Em geral, a técnica FUE é mais moderna e menos invasiva.

 

Já a técnica FUT é mais antiga e mais invasiva.

Com a técnica FUE são extraídos da área doadora do próprio indivíduo unidades foliculares independentes (fio de cabelo um a um) e posteriormente são implantadas também independentemente (uma a uma).

 

Estes fios de cabelo são muito mais resistentes à queda e, portanto, preenchem as áreas de calvície.

 

Na área doadora, normalmente posterior da cabeça, os fios de cabelo que ficam são suficientes para permanecer com o aspecto de normalidade.

 

Com a técnica FUT, é retirado um pequeno retalho do couro cabeludo na região posterior da cabeça, em seguida é realizada uma sutura na qual há a aproximação máxima entre os bordos da incisão e dos fios de cabelo (sutura tricofítica), de tal forma que torna-se quase que imperceptível que foi retirado uma pequena parte do local.

 

Este retalho retirado vai para separação microscópica dos fios de cabelo, um a um.

 

Durante a separação dos fios de cabelo os mesmos passam a ser implantados nas áreas de calvície, unidade a unidade, o mais próximo possível, de forma a obter o melhor resultado e naturalidade pós transplante possíveis.

 

Ambas as cirurgias são realizadas com altíssima segurança, muitas vezes inclusive com o paciente acordado caso seja possível e o paciente deseje.

 

O tempo do ato cirúrgico é variável de acordo com a extensão da área a ser transplantada.

 

A recuperação pós operatória é muito tranquila e a vida volta à normalidade em pouquíssimos dias.

bottom of page